A tua tristeza não invalida a minha


Queridos adultos,

Queridos pais, professores, monitores e todos os adultos que me rodeiam: eu sinto tristeza, e não é vosso lugar julgarem se ela é legítima ou não. Durante anos e anos, e no decorrer da minha infância, vocês sempre me disseram e fizeram crer que podia confiar em vós. Que poderia contar os meus medos, os meus receios, as minhas dores e que vocês sempre estariam lá para mim. E na verdade, até há bem pouco tempo, estiveram. Quando eu caía e esfolava o joelho, quando tropeçava e batia com a cabeça, quando ficava sozinha no escuro, quando acordava de noite, quando tinha más notas… durante todos estes episódios vocês deram-me a mão, passaram água onde doía e diziam que tudo ia ficar melhor…

Bem, se eram capazes de fazer isso na altura, porque já não são capazes de o fazer agora? Porque é que mudou assim tanto? Parece que desde que o meu corpo começou a mudar e desde que avanço a passo galopante para o que vocês chamam de adolescência que, tudo o que a mim me inquieta, a vocês parece coisa de gente pequena… Vocês continuam a dizer que eu posso continuar a confiar em vocês, mas a verdade é que agora não me escutam com a mesma paciência… Seja por eu vos contar que aquela amiga deixou de falar comigo, seja porque o rapaz de quem eu gosto não me corresponde, seja porque me sinto só, seja porque começaram a contar coisas sobre mim na escola que não são verdade, seja porque alguns rapazes sentem que podem apalpar-me quando ninguém vê, seja porque as raparigas me ameaçam se eu não fizer como elas dizem, seja porque eu não vejo saída desta viagem que ainda nem começou…

A todos estes problemas, vocês respondem que não é nada… que também passaram por isso e que sobreviveram… que eu devia era concentrar-me na escola… que essa mania de proteger as crianças é uma parvoíce, porque miúdos sempre foram miúdos… que eu não sei nada sobre o que é ter problemas, porque quando eu crescer é que vou ver…

Sabes adulto, se calhar tens razão… se calhar a vida é muito mais dura do que o que eu imagino, e é muito provável que tenhas mais com que te preocupar agora… Mas isso não quer dizer que eu não esteja em sofrimento, porque estou, nem muito menos quer dizer que o meu sofrimento vale menos que o teu… quer apenas dizer que eu precisava de ti, apenas para me dizer que tudo vai ficar bem.

Imagem retirada de http://adolescenteambulante.blogspot.pt/2012/07/texto-ta-chorando-sim-mais-de-raiva-x.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *