Caros pais


Caros pais,

Para vocês que estão também no início do ano letivo, estas palavras são especialmente para vocês, de uma terapeuta que partilha o mesmo desejo: que este ano seja um ano de aprendizagens e de felicidade. Queridos pais, deixem-me começar por dizer que posso apenas imaginar o difícil que é ser pai hoje em dia. Informações voam de todo o lado, em cada canto existe um especialista, e cada um destes especialistas tem novas coisas a dizer, que mudam, que se contradizem, que em quase nada são fazíveis. Pais, eu sei que a realidade dos vossos filhos não é a vossa, e sei que isso também vos causa angustia. ATL, atividades sobre atividades, explicadores individuais e em grupo desde a primária, o alto nível de competição e as vossas longas horas de trabalho formam uma poção que fervilha a todo o momento.

Os novos diagnósticos de PHDA, Asperger e restante espetro do autismo, discalculia, discografia e tantas outras dificuldades. Que uns afirmam que existe, que outros dizem que é moda, mas que parecem aumentar de ano para ano. Pais, posso apenas imaginar o confuso que deve ser este excesso de informação, que em nada parece informar, mas que causa antes um aumento exponencial de ansiedade e medo de errar em cada paço do caminho. A própria escola está em alteração constante, ora com AEC ao final do dia, outras vezes a meio da componente escolar, sendo facultativas, mas parecendo obrigatórias. Pais, eu compreendo a vossa dificuldade. E por isso, em vez de ser mais um dedo indicador apontado em riste, peço-vos apenas que parem dois segundos e que se foquem no que vos vou dizer: vai correr tudo bem.

A sério, mesmo que agora não pareça, as coisas vão correr bem. Será por vezes necessário travar guerras, será por vezes necessário realizar mudanças e será muitas vezes necessário fazer cara feia, mas lembrem-se sempre no fim do dia daquela gargalhada boa ao jantar, daquele abraço a chegar a casa ou mesmo daquele beijinho de desculpa. É que sabem pais, os vossos filhos precisam dessa calma vinda de vós. Quanto mais stress houver, quantas mais guerras abertas forem batidas e quantos mais gritos existirem, mais a mensagem será passada aos vossos filhos de que algo não está bem, e ninguém quer sentir de um pai ou de uma mãe que as coisas não estão a correr como deviam. Por isso, respirem fundo, tenham tempo para vocês e parem de vez em quando. Sejam a mão segura mas terna que está lá para guiar durante o caminho.

E pais, não consigo dizer isto com ênfase suficiente, peçam ajuda quando precisarem. Não tenham receio, pois pedir ajuda é mais um ato de coragem do que de dificuldade. Seja esta ajuda para vocês, para os vossos filhos, para a relação, ou por sugestão de alguém da comunidade educativa. Pedir ajuda passa tanta vez apenas por um rastreio, por uma consultoria ou por uma simples estratégia que parecerá tão simples depois de implementada. E para todas as vezes em que não for, nós terapeutas estaremos cá. Para vos ajudar a vós, aos vossos filhos, à vossa família como um todo.

Estamos ainda em outubro e os tons da escola são ainda bastante positivos. Peguem nessa energia, tentem passar por cima do negativismo do passado e tentem focar-se no futuro brilhante que vem por aí este ano. Porque o primeiro passo para um excelente ano letivo é ter a pura esperança de que tudo correrá bem.

Imagem retirada de https://coopedceara.wordpress.com/tag/pais-e-filhos/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *